O melhor da Alta-Costura


A temporada de Haute Couture ou Alta-Costura é uma das mais aguardadas do ano por ser o momento em que os estilistas têm mais liberdade para criar e na semana passada ocorreu a temporada Outono-Inverno 2017/18. As peças apresentadas nessa temporada só podem ser adquiridas sob encomenda pois são feitas nas medidas do comprador, o que as torna ainda mais exclusivas. 

Este ano tivemos muitas coleções encantadoras e a volta de algumas grifes para este seleto grupo, pois existem algumas regras a serem seguidas para desfilar na alta-costura, uma delas é possuir um atelier em Paris, mas algumas marcas são convidadas. São vários desfiles ao longo de um pouco mais de uma semana, por isso escolhi alguns que considerei os mais interessantes.

Azzedine Alaïa/Jean Paul Gaultier
Azzedine Alaïa fez o seu retorno ao Haute Couture sendo aclamado, ele trouxe a passarela peças elegantes, nada fora do habitual, mas Alaïa sabe encantar e despertar o desejo. Claro que o desfile não seria completo sem sua musa Naomi Campbell, que é uma das clientes mais fiéis do tunisiano.

No mesmo dia, Jean Paul Gaultier levava os convidados do seu desfile para um inverno cheio de estilo em uma pista de neve falsa. Entre belos vestidos, as jaquetas chamaram a atenção e se tornaram um item que toda fashionista gostaria de usar.

Giambattista Valli/ Valentino
Romântico é a descrição perfeita para o desfile de Giambattista Valli, entre vestidos volumosos, com bordados e muito tulê, o destaque ficou para os vestidos que eram mais curtos somente na frente, dando uma jovialidade para peças tão sérias.

A Valentino de Pierpaolo Piccioli mostrou que sofisticação e simplicidade andam lado a lado ao apresentar sua coleção inspirada nos sete pecados capitais. A maioria das peças eram lisas, sem estampas e com sobreposições, desfiladas entre vestidos com bordados delicados.

Chanel/Dior
Os desfiles da Chanel são sempre os mais aguardados em qualquer temporada, não só pelos looks, mas pela super produção que costuma acompanhar o desfile e dessa vez a grife levou parte da Torre Eiffel para dentro do Museu Grand Palais, além de muito gelo seco no teto para dar a impressão de que nuvens bloqueavam a visão do restante da torre. 

Homenageando o próprio Lagerfeld, que logo após o desfile foi condecorado pelos serviços prestados a Paris, a Chanel não fugiu do clássico tweed, ao mesmo tempo que inovou nos seus vestidos de festas, armados e acompanhados de casaquinhos, jaquetas e botas, agradando suas fiéis clientes e as mais jovens.

Enquanto isso a Dior também realizava sua homenagem, em um jardim do Les Invalides (um dos maiores monumentos da França e onde está sepultado Napoleão Bonaparte), Maria Grazia Chiuri, a atual estilista da grife, fazia sua releitura de um dos maiores clássicos de Christian Dior. 

Com cinturas bem marcadas, vestidos e casacos plissados, o Dior New Look veio para mostrar que continua atual, sua estética delicada e ao mesmo tempo imponente reflete a mulher que Dior idealizava na década de 1950, forte e inteligente. Chiuri deixou essa mulher forte, inteligente e ousada, acompanhando os tempos atuais através de elegantes transparências.

Zuhair Murad
Através de suas criações, Zuhair Murad é capaz de nos levar aos nossos sonhos e traduzir isso em forma de vestidos dignos da realeza, seus desfiles são um dos mais aguardados e é difícil escolher apenas alguns vestidos para apresentar aqui, por isso vale a pena ver todas as peças desfiladas.

Se em outras coleções Murad buscou inspiração nas estrelas, dessa vez sua musa foi Charles Dana Gibson, criadora das Gibson Girls, o primeiro ideal de beleza americano. A inspiração foi traduzida em vestidos transparentes, bordados metalizados, com cinturas marcadas e delicados arranjos na cabeça.

Elie Saab
Se alguém merece destaque, esse alguém é Elie Saab, o estilista sempre se supera e traz criações cada vez mais surpreendentes. Assim como Zuhair Murad, é extremamente difícil escolher apenas algumas peças como favoritas, não há decepções, os vestidos enchem nossos olhos e dá vontade de usar Haute Couture todos os dias.

No último desfile Saab se superou e trouxe para a passarela A Tale Of Fallen Kings, ou em português Um conto de reis caídos, fomos apresentados a princesas guerreiras medievais bordadas dos pés a cabeça, cinturas marcadas e até mesmo algumas fendas.

A alta-costura tem se tornado uma das coleções favoritas no mundo da moda e já estamos ansiosas para as próximas coleções. Qual foi o seu desfile favorito?

Nenhum comentário:

Postar um comentário